As Regras da Casa de Sidra - John Irving

18:05


St. Cloud’s é uma pequena cidade localizada no Maine, EUA, onde existe um orfanato conhecido pelos trabalhos que são oferecidos a mulheres: partos e abortos. Os bebês não desejados se dividem entre os que nascem e viram órfãos, e entre os que nem chegam a nascer. É nesse lugar que nasce Homer Wells, um garoto preocupado em ser de utilidade e que aprenderá, por força das circunstâncias, coisas que lhe serão úteis para a vida inteira. 

O Dr. Wilbur Larch começou no negócio de abortos para ajudar mulheres vítimas de estupro e incestos. Ao se tornar diretor do hospital e orfanato de St. Cloud’s, ele e suas fiéis companheiras de trabalho, as enfermeiras Edna e Angela, não imaginaram que tornariam o lugar uma referência para mulheres que não desejavam seus bebês. Naquela época, começo do século XX, o aborto era ilegal e imoral no país. 

Homer Wells nasce pelas mãos do Dr. Larch e nunca saberá quem foi sua mãe e porque ela o deixou ali. Ele é adotado três vezes e depois de três tentativas frustradas decide que não quer mais ser adotado e que St. Cloud’s é o seu lugar. Na divisão de meninos ele é um garoto diferenciado, preocupado com os órfãos mais novos, prestativo, e muito aplicado na sua função de ler Grandes Esperanças e David Copperfield para os colegas de quarto antes de dormir. Obras do seu autor preferido, Charles Dickens. 

Já adolescente Homer começa um relacionamento às avessas com Melony, a maior e mais áspera órfã da ala meninas. Melony é independente, carrancuda, raivosa e forte (literalmente), do tipo que jamais levará desaforo para casa e que não pensa duas vezes antes de usar a violência como solução de conflitos. Ela, diferente de Homer, quer viver em outro lugar e saber quem é sua mãe. 

Nessa mesma época Homer descobre porque tantas mulheres aparentemente não grávidas buscam o hospital e o que o Dr. Larch faz por elas. O médico decide então que está na hora do seu órfão mais especial aprender como fazer abortos e ser seu aprendiz para dali a alguns anos virar um parteiro e aborteiro a mais no lugar. Acontece que o garoto cresce no ofício, mas não concorda com ele. 

Depois de alguns anos de experiência e no começo da juventude, Homer conhece Candy e Wally, um casal mais ou menos da sua idade que vai até St. Cloud’s à procura de um aborto para Candy. A gravidez não planejada e antes do casamento era uma má ideia. Os três ficam amigos e Wally convida Homer para ajudá-lo por algum tempo a administrar sua fazenda, já que o pai sofre de Alzheimer (ainda em fase de descoberta na época) e não tem mais condições de gerenciar os negócios. Dr. Larch, preocupado que Homer tenha um futuro (fazer uma faculdade de medicina, por exemplo), insiste para que ele vá e ele concorda, contanto que seja apenas por algumas semanas. Homer nunca mais voltará definitivamente para St. Cloud’s. 

Com a proximidade constante do casal de amigos, Homer, que passou a viver na casa de Wally, se apaixona por Candy, e ela por ele, de certa forma, mas os dois são impedidos de viver qualquer tipo de relacionamento pela culpa com relação a Wally. Isso muda depois que ele decide servir na guerra e desaparece após um ataque ao avião que pilotava. Homer e Candy viram amantes e dos dois nasce Angel, que para todos os efeitos é filho adotivo de Homer, a quem Candy presta toda a ajuda na criação. Essa mentira perdurará por anos a fio. 

Para mim, é a partir desse ponto que a história começa a ficar de fato interessante. Percebam que muita coisa acontece até aqui, ainda que não aconteça nada de extraordinário. Do início até a meio acompanhamos a infância de Homer, seu relacionamento estritamente sexual com Melony e o processo de aprendizado da obstetrícia com o Dr. Larch. Porém, John Irving conseguiu fazer com que essa parte da narrativa não se tornasse um mero passar dos dias em St. Cloud’s, mas sim a descrição de uma rotina que vai moldando os personagens ao mesmo tempo que conta histórias paralelas e desperta nosso interesse em “assistir”.

A família de Wally cultiva maçãs e produtos derivados delas. A casa de sidra é o lugar onde os colhedores ficam hospedados na época da colheita, e ela só aparece na história quando Homer se muda para a fazenda, então eu demorei bastante para entender o título rs. Todos os anos os mesmos trabalhadores são convocados e algumas semanas depois vão embora. As regras versam sobre o que eles podem ou não fazer na casa, como não subir no telhado bêbados – a vista de lá é bastante atraente – ou não ferir uns aos outros com gravidade. A cada ciclo de colheita as mesmas regras são coladas na parede, e a cada ciclo eles dizem que têm suas próprias regras.

Muitas coisas acontecerão nesta casa, mas ainda assim não acho que ela merecia o título. Todos os colhedores que passarão por ela serão negros e as questões sobre racismo aparecem sem nenhum disfarce, como tema tão relevante quanto o aborto. Sobre este há os dois discursos iguais aos que ouvimos comumente hoje: de um lado, Dr. Larch diz que não há justiça em impedir que as mulheres não decidam sobre seus próprios corpos, e do outro Homer Wells é firme em defender a vida legítima de um feto. 

A vida de Homer é contada até os seus 40 anos e em nenhum momento vemos alguém preocupado apenas consigo ou com sua própria felicidade. Aqui está a busca pela utilidade: se podia ajudar os outros, por que não o fazer? Todas as circunstâncias foram adaptadas para sua satisfação pessoal. Sem reclamações, sem muitas lágrimas. Homer aceitava seu destino e encontrava nele um modo de viver bem. Para Dr. Larch, ele será sempre um filho amado pronto para ser recebido de braços abertos quando decidir voltar para casa. 

Apesar de tratar sobre um tema polêmico, o livro não busca mostrar quem está certo ou errado – ou se há um certo ou um errado – sobre aborto, mas que existem dois lados e esses dois lados são perfeitamente compreensíveis dentro dos seus argumentos. Se você já pensou sobre o assunto com certeza encontrará uma de suas defesas nos debates proferidos no decorrer da história. E da mesma forma que o Dr. Larch nunca tenta convencer Homer Wells a continuar fazendo abortos, Homer Wells nunca tenta impedir que o médico continue fazendo. Isso mostra que as opiniões contrárias são respeitadas e que deveríamos ser mais Homer e Larch em sociedade.


Sobre o autor
Autor de diversos best-sellers, alguns dos quais foram adaptados para o cinema. Em 2000, ganhou o Oscar de melhor roteiro adaptados por Regras da Vida.


Título: As Regras da Casa de Sidra
Autor: John Irving
Editora: Rocco
Ano: 2013
Páginas: 672
Avaliação do Skoob: 4.2
Avaliação do Blog: 5.0

Você pode gostar também

0 comentários

Onde Comprar

Facebook