Poder Absoluto / Absolute Power - O Filme

19:18



Não sou crítica de cinema, e muito menos uma ferrenha espectadora da sétima arte - para falar a verdade eu faço parte do público comum mesmo, rs – mas qual bom leitor não fica na expectativa de ver um filme quando ele foi adaptado de um livro que ele já leu? Essa é a proposta do Cineliteratura, comentar sobre as produções cinematográficas dos livros que já li. Não pretendo fazer uma comparação crítica (visto que são obras para diferentes públicos através de diferentes canais e é impossível reproduzir com fidelidade página a página) mas contar sobre as minhas impressões pessoais e quem sabe tentar fugir do clichê “O livro é melhor”.

Pra começar, eu escolhi o filme de um livro que postei a resenha há alguns dias e deixei claro que foi um dos mais legais que já li. Poder Absoluto é uma história com muitas nuances e todas me agradaram. Se você ainda não viu, leia aqui

O filme conservou o título e, claro, o enredo principal. A primeira cena, a do crime, é incrivelmente fiel, até mesmo em alguns diálogos (li o livro em português e assisti ao filme dublado em português também). No papel de Luther Whitney está Clint Eastwood (Menina de Ouro, As Pontes de Madison), que não só fez a personagem principal como também dirigiu o filme. Como Seth Frank, o detetive, está Ed Harris (Uma Mente Brilhante, O Show de Truman) e como o presidente dos EUA, Alan Richmond, vemos o ator Gene Hackman (Os Imperdoáveis, Superman – O Filme). 

Luther foi bem caracterizado como no livro e sua relação permanece conturbada com a filha Kate, interpretada por Laura Linney (O óleo de Lorenzo, Simplesmente Amor), apesar de no cinema ela ter sido mais aberta a uma reconciliação. 

Os agentes do Serviço Secreto corresponderam às minhas expectativas visuais, assim como Glória Russel, que teve a atriz Judy Davis (Para Roma com Amor, A Vingança Está na Moda) no papel. Todos ficaram bem como imaginei. 

O final do filme foi beeem diferente do livro, mas não deixou a desejar, foi criativo e os culpados foram punidos, à sua maneira. 

A minha maior decepção foi a total ausência de Jack Graham no roteiro. Ele é um personagem importante na história original de David Baldacci e confesso que nutri uma paixãozinha por aquele homem tão íntegro e inteligente. Quem sabe na próxima, né?

O que ficou igual: o crime; a relação difícil entre Kate e Luther; a ação dos agentes secretos na primeira cena; e o amor platônico que Glória Russel tem pelo presidente.

O que ficou diferente: Jack Graham não apareceu (e por consequência sua noiva também não); Seth Frank não é casado e até chega a flertar com Kate; alguns personagens ficaram de fora como Wanda; e o final da história (mais do que isso e solto spoiler).

Poder Absoluto é uma boa história tanto em livro quanto é filme. Leiam e assistam!


Título: Poder Absoluto / Absolute Power
Diretor: Clint Eastwood
Ano: 1997
Duração: 121 min
Avaliação Filmow: 3,5
Avaliação Blog: 4,0


Você pode gostar também

0 comentários

Onde Comprar

Facebook